Blog

Unidade Granja Viana

Bate-papo é conduzido por diplomata e professoras do Anglo

O número de refugiados no mundo tem aumentado ao longo dos anos. Para ampliar o conhecimento deste assunto, os alunos do Ensino Médio participaram de um bate-papo com o diplomata Rômulo Neves. Formado em sociologia pela USP e mestre pelo Instituto Rio Branco, o especialista compartilhou histórias de sua vida e carreira diplomática na Venezuela, no Suriname, na Etiópia e, agora, na Alemanha. A palestra foi mediada pelas professoras Roberta (Filosofia), Mari (Sociologia) e Stefanie (Geografia).

“A ideia foi conversar a respeito do papel da diplomacia brasileira e o papel do Brasil nas relações comerciais, econômicas e políticas internacionais. Conhecemos as dificuldades dos refugiados e a profissão diplomática na embaixada, que não tem somente o lado glamoroso. Há muitas dificuldades como qualquer outra carreira e exige muito esforço e busca por conhecimento”, contou a professora Roberta.

O conceito “refugiado” foi criado pela Organização das Nações Unidas na década de 50 com o objetivo de garantir proteção a quem sofre com perseguição política, discriminação racial, social ou religiosa, fome ou está em situações de guerrilha. A desnutrição, sofrimento psicológico e outras doenças são os grandes desafios da população refugiada.

A aluna Clara Nui, do 2º ano, ficou impressionada com o fato de o diplomata ter ido a países subdesenvolvidos. “Para ela, foi importante ter esse espaço para fazer perguntas e ampliar o estudo com quem vive a experiência diariamente. “Eu perguntei sobre o Afeganistão e como os conflitos lá podem interferir aqui. Quis saber ainda da diplomacia da grande China. Foi uma aula realmente!”, disse Clara.

Segundo a aluna Ana Clara, do 3º ano, o bate-papo foi dinâmico e enriquecedor. “Achei incrível. O Rômulo esclareceu vários tópicos em relação as questões políticas, econômicas e sociais envolvendo os refugiados, bem como as dificuldades enfrentadas por eles. Além disso, suas histórias nos trouxeram um olhar mais próximo dessas pessoas, que parecem estar tão distantes da nossa realidade. As professoras também foram maravilhosas, levantando discussões pertinentes e interessantes. Um momento de muito aprendizado”, acrescentou.

As professoras aproveitaram essa rica oportunidade para envolver os alunos do 9º ano. “Integramos os estudantes na linguagem do Ensino Médio com os professores e as questões atuais, que serão exploradas em Redação, Sociologia, Filosofia e Geografia”, ressalta Roberta.

Esse trabalho interdisciplinar terá continuidade com os debates da OnuVinci, cujo tema continuará com “Refugiados”. Esta é uma simulação da ONU na qual os alunos desempenharam o papel das delegações de cada país e discutem acerca de assuntos importantes de políticas públicas e auxílio para a humanidade. Não basta apenas conhecer, é preciso agir!

“O Colégio Anglo Leonardo da Vinci acredita que é fundamental trabalhar a autonomia e a cidadania de seus alunos. Com essas discussões e projetos, desenvolvemos neles a liderança, a proatividade, o trabalho em equipe e outras habilidades fundamentais nos dias atuais e para o futuro. O resultado é o engajamento, que desperta a vontade de aprender e de atuar de forma solidária para o bem do outro”, finalizou a professora.